Desenvolvimento Humano Sustentável

Leitor: A Pesquisa da Semana é sobre o tema tratado no post e está apresentada em seguida a ele.

Este blog atingiu no domingo a marca de 3.000 acessos de terceiros registrados pelo provedor do serviço, o WordPress, em pouco menos de 5 meses. Um belo resultado que mostra o interesse que o assunto está começando a despertar no Brasil.

Bem, ao analisar a questão do bem estar e depois de abordar as limitações do PIB como indicador, foi necessário mostrar que as pessoas desejam consumir, que tal desejo não tem limites e que a sociedade se mobiliza para isto. Não fossem as restrições ambientais e sociais dificilmente o modelo de consumo e o estilo de vida resultante mudariam. Mas, como é um modelo inviável, as crises e adaptações terão que ocorrer. Chama a atenção que a saída para a recente “grande recessão” está sendo “mais do mesmo”, ou seja cada país tenta sair do impasse através do crescimento econômico sem maiores considerações ambientais e sociais.

Tal caminho só tornarão mais difíceis e dramáticas as soluções. A ver. Aliás, isto torna real para todos, inclusive nós, mais cedo ou mais tarde, a possibilidade de revoltas populares como as que estão ocorrendo nos países do norte da África.

Volto à questão do bem estar, detalhando uma iniciativa da ONU.

Em 1990 o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD introduziu em todo o mundo o conceito de desenvolvimento humano sustentável focando nas pessoas e não na acumulação de riquezas o objetivo do desenvolvimento. Para aferir o grau de desenvolvimento humano sustentável de uma sociedade o PNUD utiliza o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) criado pelo professor Amartya Sen e publica anualmente o Relatório de Desenvolvimento Humano comparando 144 países e territórios.

Acione o mapa interativo e veja a versão interativa do quadro acima, inclusive com gráficos evolutivos. Observe que além do IDH o mapa contém 3 outros índices que foram incorporados a partir de 2010. O IDH combina 3 aspectos: saúde (expectativa de vida), educação (tempo de estudo) e renda média. Veja no mapa iterativo o Brasil com 0,699, os EUA com 0,902, a China com 0,663 e Moçambique com 0,284, entre outros.

Os outros 3 índices que também podem ser vistos no mapa interativo procuram um, medir o grau de desigualdade nas variáveis do IDH, outro, a desigualdade feminina e o último o grau de pobreza de cada país. Além destes índices compostos é possível ver a evolução de indicadores específicos sobre saúde, educação, renda, desigualdade, pobreza, gênero, sustentabilidade e segurança humana.

Na base deste trabalho formidável está o conceito de que “a verdadeira riqueza de uma nação são as pessoas”. O mapa, entretanto, evidencia o contrário, a dura situação da imensa maioria das pessoas em termos de qualidade de vida.

E que, infelizmente, com este quadro, não se pode deixar de considerar a possibilidade de uma solução que amplie o fosso entre os que participam do modelo de consumo e os excluídos.

Termino sugerindo que você participe da pesquisa de opinião da semana, apresentada no post que se segue, sobre tal possibilidade.

Anúncios

Uma resposta to “Desenvolvimento Humano Sustentável”

  1. Christopher Says:

    Os comentários são centralizados no último post publicado.


Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: